Nossos Projetos

Projetos apoiados

Neutralize as emissões do seu evento com nossos projetos

Após o cálculo corretora das emissões de carbono é possível neutralizar um evento através dos diversos projetos apoiados pela Eccaplan

Todos os projetos do programa Evento Neutro são verificados anualmente por entidades independentes para obtenção de VERs (créditos de carbono – voluntary emission reducion) por tonelada de gás carbônico removida ou por emissões evitadas. Isso garante a credibilidade e torna o evento mais sustentável
A Certificação é uma garantia de: monitoramento frequente da qualidade do projeto; comprovação da redução de emissões totais ao longo do período; e verificação dos compromissos assumidos com as partes interessadas na ocasião de início do projeto.
Cada tonelada de gás carbônico removida ou evitada, e comprovadamente mensurável, é convertida em 1 VER pelo órgão regulador. Um VER (Voluntary Emission Reduction) equivale a 1 (uma) tonelada de gás carbônico a menos na atmosfera terrestre. Os VERs são emitidos sempre ex-post, ou seja, após a comprovação de sua contribuição na redução dos níveis de gases de efeito estufa. Os projetos estão em operação e não em fases iniciais de planejamento ou implantação.

energias renovaveis

Energias Renováveis

florestal

Florestal

Projetos para compensação de carbono

Conheça os Projetos apoiados pelo Evento Neutro

Após o calculo corretora das emissões de carbono é possível neutralizar um evento através dos diversos projetos apoiados pela Eccaplan

Biogás
Projeto Ecomapuá

Nome do Projeto:
Projeto Ecomapuá
Tipo de Projeto:
Florestal
Local:
Breves, Ilha do Marajó / PA, Brasil

O Ecomapuá tem elevada importância na conservação da Amazônia paraense. A área se estende por milhares de hectares de vegetação densa em uma região de conservação considerada de prioridade “extremamente alta” pelo Ministério do Meio Ambiente.
Hoje, mais de 100 famílias residem na área do projeto, e dependem dos recursos naturais da floresta para sobreviver. Para contribuir com o desenvolvimento da região, o projeto promove cursos nas comunidades locais para ensinar novas formas de subsistência e gerar fontes de renda.
O Sr. Pedro, morador da comunidade, explica “Hoje a gente pratica permacultura, eu já tenho meus peixes e galinhas. Isso ajuda muito, o projeto me deu o conhecimento e material necessário para eu começar com essas atividades”.
Localizado a 30 horas de barco da capital Belém/PA, o projeto Ecomapuá conserva cerca de 90.000 hectares do bioma amazônico na Ilha de Marajó, na jusante do Rio Amazonas.
Com o projeto, a extração de recursos madeireiros foi proibida, sendo ela uma das principais causas de desmatamento da região.
Além de conservar a rica biodiversidade da Amazônia, o projeto tem como objetivo encontrar alternativas de geração de renda para as comunidades locais e também contribuir para o desenvolvimento sustentável da região.

Biogás

Projeto Floresta Santa Maria – REDD

Nome do Projeto:
Florestal Santa Maria Project (FSM-REDD Project)
Tipo de Projeto:
Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação Substituição (Reduced Emissions from Deforestation and Degradation – REDD)
Local:
Colniza, Mato Grosso/Brasil

O projeto Florestal Santa Maria, situada no norte do estado do Mato Grosso, dentro da área compreendida como Amazônia Legal, ocupando uma área de 71.713,9590 hectares de floresta nativa, no município de Colniza margem direita do rio Aripuanã.

O projeto preserva o rio Aripuanã por meio da conservação da floresta evitando erosão e intervenção humana e cria uma barreira natural contra incêndios protegendo fauna e flora local. Além disso, o Florestal Santa Maria, contribui socialmente para região com 330 posto de trabalhos, curso de formação e melhoria nos serviços de saúde e educação da comunidade local.

Status do Projeto

Aprovado REDD Methodology e verificado por Rainforest Alliance, Inc. (Rainforest Alliance)

Região

Situada no norte do estado do Mato Grosso, dentro da área compreendida como Amazônia Legal, a Fazenda Florestal Santa Maria ocupa 71.714 hectares de floresta nativa, no município de Colniza, à margem direita do rio Aripuanã.

Contribuição Social
  • 330 postos de trabalho gerando renda a comunidade local
  • Cursos de formação a comunidade local
  • Melhoria nos serviços de educação e saúde para comunidade local
Contribuição Ambiental
  • Preservação ambiental da floresta nativa e sua biodiversidade
  • Redução de 30 milhões de toneladas de CO2 na Atmosfera
  • Conservação do rio Aripuanã por meio da conservação da floresta evitando erosão e intervenção humana
  • Barreira natural contra incêndios que protegem a fauna e flor local.
  • Adotar práticas que possibilitem a perpetuidade da floresta 
Biogás
Projeto Cerâmica Bandeirantes & Capelli

Nome do Projeto:
CERÂMICAS BANDEIRA & CAPELLI
Tipo de Projeto:
Substituição de fonte de energia não renovável por biomassa
Local:
Capela, Alagoas – Brasil

Localizado na cidade de Capela, Alagoas, região da Caatinga, um bioma exclusivamente brasileiro, que e ocupa cerca de 844.453 Km2, o equivalente a cerca de 10% do território de país. Apesar de ser rico em recursos naturais, a Caatinga é um dos ecossistemas mais ameaçados do país. O projeto visa implementar e manter diversos projetos socioais e ambientais, como o uso de bambu, algaroba, serragem e casca de côco como combustível renovável nos fornos.

Status do Projeto

Certificado pelo Social Carbon Registry e verificado por Bureau Veritas

Região

Caatinga, um bioma exclusivamente brasileiro, que e ocupa cerca de 844.453 Km2, o equivalente a cerca de 10% do território de país. Apesar de ser rico em recursos naturais, a Caatinga é um dos ecossistemas mais ameaçados do país.

Contribuição Social
  • alta inclusão social: Cerâmica Bandeira emprega 3 mulheres e um cadeirante; Cerâmica Capelli emprega 4 mulheres

     

  • apoio a eventos na comunidade e ações filantrópicas

     

  • treinamentos de segurança e técnicos promovidos pelo SESI, SENAI e SEBRAE

     

  • melhoria de condições de trabalho: compra de ventiladores, compra de novos fornos, reforma dos bainheiros e expansão/renovação do refeitório
Contribuição Ambiental
  • uso de bambu, algaroba, serragem e casca de côco como combustível renovável nos fornos
  • as Cerâmicas tem parceria com a Universidade Federal de Alagoas para estudar o uso de capim elefante como alternativa de biomassa
  • cinzas geradas durante o processo de queima são reutilizadas em estradas de terra
Biogás
Projeto Cerâmicas São Judas Tadeu e Milenium

Nome do Projeto:
CERÂMICAS SÃO JUDAS E MILENIUM
Tipo de Projeto:
Substituição de fonte de energia não renovável por biomassa
Local:
Tocantins – Brasil

Localizado no Estado do Tocantins, a Cerâmica eliminou a utilização de madeira nativa do Cerrado brasileiro ao implementar tecnologias para queima de casca de arroz e outros resíduos agrícolas renováveis, promovendo a conservação da biodiversidade local e melhorando as condições de trabalho.

Status do Projeto

Certificado pelo Social Carbon Registry e verificado por BRTUV

Contribuição
compromisso da empresa com investimentos para melhoria das condições de trabalho dos funcionários; eliminação da contribuição ao desmatamento do cerrado e degradação da biodiversidade; estreitamento e promoçào das relações institucionais com as comunidades do entorno.
Biogás
Projeto Pequena Central Hidrelétrica (PCH) Garganta do Jararaca

Nome do Projeto:
Pequenas Centrais Hidrelétricas
Tipo de Projeto:
Substituição de fonte de energia não renovável por energia renovável de baixo impacto ambiental
Local:
Campo Novo do Parecis, Mato Grosso – Brasil

A PCH Garganta da Jararaca abastece os municípios de São José do Rio Claro, Nova Maringá e Campo Novo do Parecisental. Antigamente estas cidades obtiam energia com a queima de óleo diesel (geração térmica). A primeira do Centro-Oeste e a segunda do país a ter a chamada ‘escada de peixes’, que facilita a migração e reprodução da maioria das espécies locais, além de assumir outros cuidados ambientais durante a instalação.

Status do Projeto

floCertificado e verificado por TUV NORD

Descrição

Pequena Central Hidrelétrica (PCH) com 29,3 MW de potência instalada e 2,87 km² de área de reservatório.

Contribuições

A PCH Garganta da Jararaca abastece os municípios de São José do Rio Claro, Nova Maringá e Campo Novo do Parecisental. Antigamente estas cidades obtiam energia com a queima de óleo diesel (geração térmica). A primeira do Centro-Oeste e a segunda do país a ter a chamada ‘escada de peixes’, que facilita a migração e reprodução da maioria das espécies locais, além de assumir outros cuidados ambientais durante a instalação.

Fale Conosco

O programa Evento Neutro foi desenvolvido, em 2007, pelos profissionais da ECCAPLAN Consultoria.

Assessoramos organizações públicas e privadas na incorporação e geração de valor socioambiental.

Eccaplan Consultoria em Sustentabilidade

+55 (11) 3039 8312
contato@eccaplan.com.br
(11) 98214-4404

Av. Prof. Lineu Prestes, 2242
Cidade Universitária - USP
São Paulo - SP
CEP: 05508-000

Desenvolvido por Vipads - Marketing Digital

1
Veja em poucos passos como você pode neutralizar o seu evento
Powered by